Ailton Amélio

Categorias

Histórico

Qual é o mistério? Por que você não consegue iniciar relacionamentos?

Ailton Amélio

Certas pessoas têm muita facilidade para iniciar namoros. Outras têm muita dificuldade. A grande maioria se situa entre esses dois extremos.

Quem tem facilidade, nem pensa nisso. Quem tem dificuldades vive elucubrando sobre os motivos dessa dificuldade.

A identificação errada desses motivos pode dar espaço para o rebaixamento da autoestima. Certas pessoas acabam concluindo que têm algum problema sério neste setor. O rebaixamento na autoestima e as hipóteses explicativas para tal dificuldade podem contaminar outras áreas do autoconceito e afetarem outras áreas da vida. Tais pessoas podem perder a vitalidade, entusiasmo com o trabalho e, até, ficarem deprimidas!

Algumas pessoas que têm dificuldade para se relacionarem amorosamente caem no fatalismo e na autopiedade: “Não é para mim”, “Não tenho jeito”, “É uma injustiça isso que aconteça comigo”. Pensar assim, não contribui para a solução dos problemas e até os agravam.

Os pensamentos sobre a própria incapacidade e a comparação com aqueles que desenvolvem relacionamentos podem instalar a frustração: “Não consegui algo que quase todo mundo consegue: namorar, constituir uma família e ter filhos”.

À medida que os colegas vão namorando, casando e tendo filhos, também vão acontecendo exclusões das pessoas que não desenvolvem esses estágios da vida: programas próprios para casais, segurar vela, festas de crianças, papos sobre casamento e filhos que não dizem respeito aos que não estão nestas condições.

Os preconceitos ajudam a fazer o serviço: “solteirão”, “esquisito” e “problemático” são alguns dos rótulos que os desacompanhados recebem.

Bons remédios para problemas errados

Nada mais fértil para a instalação de temores difusos e teorias conspiratórias do que não saber os motivos das próprias dificuldades.

Os livros de autoajuda, os charlatões e falsos gurus prescrevem remédios que podem até serem bons, mas não para tratar das causas específicas das dificuldades de cada um. A capacidade para fazer diagnóstico e prescrição de tratamento frequentemente não está ao alcance dos curiosos nesta área. Mesmo quando os motivos são mais claros, as maneiras eficientes para lidar com os problemas geralmente não são tão simples. Por exemplo, quando alguma pessoa tem dificuldade séria para se apaixonar e amar, não adianta frequentar locais lotados com possíveis parceiras e usar aplicativos para encontros. Esses recursos ajudam a encontrar parceiras, mas o relacionamento não vai em frente porque tal pessoa não consegue se envolver e, por isso, também não consegue fazer a parceira se envolver.

Se as pessoas são agradáveis, sabem conversar e são atenciosas, elas provavelmente conseguirão fazer boas amizades, mas tais habilidades podem não ser suficientes para estabelecer relacionamentos amorosos. Para desenvolver este tipo de relacionamento são necessários outros requisitos como a capacidade para desenvolver clima romântico e exibir sex appeal.

Recorrer a aplicativos, agências de casamento e fazer cursos sobre paquera podem não ajudar e, infelizmente, podem atrapalhar porque tomam tempo, implicam no dispêndio de energia e desviam a pessoa daquilo que realmente contribuiria para resolver seus problemas.

As facilidades ou dificuldades para iniciar relacionamentos amorosos dependem de diversos fatores. Alguns dos mais importantes deles são os seguintes:

Principais causas das dificuldades para iniciar namoros

  • Dificuldades estatísticas.

Existe abundância de parceiras disponíveis e combatíveis com você na sua faixa etária?

De fato, nem sempre a parceira que prefere você está na sua faixa etária. O mais importante é haver parceiras disponíveis na faixa etária que prefere a sua idade ou que, pelo menos, aceite você.

Depois de certa idade, os parceiros compatíveis não estão mais na mesma faixa etária. Os homens, à medida que vão ficando mais velhos, também vão preferindo mulheres cada vez mais jovens que eles. Elas, em todas as idades, geralmente, preferem homens das suas faixas etárias (um pouco mais jovens, da mesma idade ou um pouco mais velhos).

A dificuldade estatística pode ser enfrentada frequentando locais e atividades onde há concentração de possíveis parceiros. Mesmo havendo mais mulheres do que homens na população, em diversos locais e atividades há mais homens.

  1. Dificuldades situacionais.

Nos locais e atividades que você frequenta existem possíveis parceiras disponíveis e compatíveis com você? Não?

Você lança mão de outras opções para entrar em contato com possíveis parceiras (baladas, aplicativos, etc.?). Não? Então, não será fácil, não.

Os melhores parceiros para os relacionamentos amorosos são os conhecidos e aqueles apresentados por conhecidos em comum.

O difícil aqui é localizar tais locais e atividades propícias e ter recursos (psicológicos e práticos) para passar a frequentá-los

  1. Aplicativos para iniciar relacionamentos amorosos.

Você usa aplicativos para iniciar relacionamentos?

Não? Bela perda de oportunidades.

Os aplicativos apresentam vantagens e desvantagens. Depois de certa idade ou quando existem poucas parceiras disponíveis nas atividades e locais frequentados, os aplicativos são excelentes fontes de contato com novas parceiras.

Muita gente não gosta deles, não se sente confortável para usá-los e teme possíveis danos para a imagem quando outras pessoas ficam sabendo que elas usam.

Os aplicativos são úteis principalmente para aqueles que não têm grandes dificuldades em outras áreas e precisam mesmo é conhecer possíveis parceiras.

  1. Você tem facilidade para mostrar interesse e acolher demonstrações de interesse das parceiras?

Você flerta, declara seus sentimentos, liga e diz que ligou só para ouvir sua voz?

Não? Então, só vai arranjar parceiras advinhas ou ousadas demais!

Muita gente tem medo ou vergonha de mostrar interesse amoroso pela parceira.

Tem medo de estragar o relacionamento que já existe e perder oportunidades futuras.

Tem medo de mostrar interesse e ser rejeitado.

  1. Você tem tempo para o relacionamento?

Você dedica tempo demais ao trabalho, aos filhos do outro casamento e aos amigos? Sim? Então, namoro só de mentirinha, sem relacionamento!

Tempo é uma questão de prioridade. Se você não tem tempo para a parceira, ela não é sua prioridade. Não tem essa de “Não tive tempo para ligar para você, para responder suas mensagens”. Leia-se “Não estava com muita vontade de falar com você”.

Algumas pessoas trabalham demais, estão sempre em compromissos sociais, sempre participando de eventos. Filhos de relacionamentos anteriores também ocupam boa parte do tempo. Até agora, geralmente eles ficam morando com a mãe (acontece assim em cerca de 85% das separações).

  1. Você é atraente fisicamente?

Você tem um bom aspecto? Rosto e corpo bonitos? Cuida do corpo? Cuida da produção (vestuário, cabelos, acessórios)?

Corpo e/ou produção? Nem tanto? Isso pode ser compensado, até certo ponto, por outros atributos desta lista, se a sua parceira não for do estilo de amor Eros.
7. O relacionamento com você é gostoso? 

Por exemplo, as conversas entre vocês são envolventes e prazerosas? Podem durar horas e vocês nem veem o tempo passar?

Não? Será evitado, então.

Por que alguém namoraria com você, se isso não é prazeroso?

Para um relacionamento ser bom, é necessário que cada parceiro proporcione para o outro cerca de cinco unidades de coisas boas para cada unidade de coisa ruim.

A boa conversa é a forma mais importante de proporcionar coisas boas.
8. Você promove a expansão do eu da parceira?

O relacionamento com você contribui para a evolução e ampliação dos limites psicológicos da parceira? Não? Rotina brava no seu relacionamento, então.

Estudos mostraram que é melhor fazer programas que expandam os limites psicológicos, que tirem de nossa zona de conforto, do que simplesmente programas agradáveis, mas que não apresentem nenhum desafio.

Por exemplo, é melhor frequentar restaurantes novos, que tenham comidas diferentes e boas, do que frequentar os mesmos restaurantes que têm comidas boas.

Outro exemplo, as conversas entre vocês incentivam novas maneiras de ver as coisas e incentivam tomas razoáveis de risco ou apenas incentivam mais do mesmo?
9. Você oferece romantismo?

Não? Vai virar amiguinho!

Você gosta de namorar, olhar nos olhos, trocar mensagens românticas? Sabe usar a comunicação não verbal para mostrar que a sua parceira afeta desperta o seu lado romântico? Qualquer um poderá você está encantado com ela?

Quando você está com sua parceira, geralmente é ela o que há de mais importante no ambiente?

Se você mergulhar demais em outros assuntos, ela ficará em segundo plano!
10. Você oferece atrativos sexuais?

O sexo é um dos pilares do relacionamento conjugal. O casamento é uma unidade reprodutiva.

Os atrativos sexuais podem estar mais presentes nos comportamentos e produção do que no físico.

Você sente desejo por sua parceira? Adora os climas sensuais que acontecem entre vocês e o sexo é muito saboreado? Sabem explorar essa área e se entregam a ela? Conversam bastante sobre sexo?
11. Você se compromete com a parceira?

Não? Então só sexo casual com você! Quem vai querer?

Você está aberto para um relacionamento amplo, exclusivo e duradouro? A parceira pode contar com você? Você compartilha com ela seus planos e acontecimentos importantes? Você tem o maior prazer e orgulho de apresentá-la para todo mundo e ir com ela em todos os lugares?

Claro, o comprometimento deverá evoluir com o tempo, quando as condições são favoráveis.
12. Você tem boa capacidade para sentir atração e amor?

Não? Escolhe demais e tem menos capacidade para atrair.

No seu círculo de relacionamentos existem pessoas que atraem você para fins amorosos? Faz muito tempo que você não se apaixona ou ama?

Você se interessa fácil demais e apaixona muito rapidamente?

Atração e amor demais ou de menos prejudicam o relacionamento

As pessoas variam muito no quanto elas sentem de atração e nas suas capacidades para apaixonar. A quantidade de atrações, paixões e amores que as pessoas já tiveram em suas vidas varia muito.

Sentir e mostrar atração torna a pessoa mais bonita, dá esperanças e instiga a atração da parceira.

13- Você oferece menos atrativos do que exige?

Esse é um dos principais problemas de quem tem dificuldade nesta área. Geralmente as pessoas que têm esse tipo de dificuldade dizem que são “muito exigentes”. Ser exigente é bom. O problema aparece quando quem é exigente não preenche os requisitos daquelas pessoas que atendem suas exigências. São aquelas pessoa “são noção” que só querem parceiras que podem conseguir parceiros muito mais desejáveis do que elas. Eles preferirão outras pessoas.

Não basta saber qual é o problema e qual seria a solução.

Você ainda terá que implementá-las.  Por exemplo, não adianta saber o que é necessário para emagrecer: basta ingerir menos calorias do que você gasta (dieta) ou gastar mais do que você ingere (atividades físicas). Para colocar em prática essa prescrição é necessário haver convicção de que ela funciona, motivação para superar as tentações que impedem o emagrecimento e motivação para fazer o que é necessário.

Dificuldades para iniciar e desenvolver relacionamentos? Procure a ajuda de um psicólogo.

Sobre o autor

Ailton Amélio é psicólogo clínico, doutor em Psicologia e professor do Instituto de Psicologia da USP (1985 - 2014). Autor dos livros "Relacionamento amoroso" (Publifolha), "Para viver um grande amor" (Editora Gente) e "O mapa do amor" (Editora Gente).

Sobre o blog

Um blog sobre relacionamento amoroso e comunicação interpessoal.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Blog do Ailton Amélio
Topo